06 julho 2012

Resenha: O Coração das Trevas

Olá!

O livro resenhado de hoje é O Coração das Trevas de Joseph Conrad, enviado pela editora parceira Martin Claret. Esse livro não me foi indicado por ninguém e meu interesse surgiu desde que li a sinopse, enquanto passeava pelo site da editora. 

A história mostra o personagem Marlow, um homem do mar, narrando suas memórias a seus companheiros de embarcação, enquanto aguardam a próxima maré vazante para descerem o rio. 

A narrativa de Marlow se referia à difícil viagem de uma expedição à África, mais especificamente ao Congo. Além de todos os percalços relacionados ao clima e a precariedade de condições, Marlow expôs, no seu relato toda a degradação humana presenciada naquela experiência, não apenas na forma cruel com que os nativos eram tratados, como pela corrupção dos europeus diante da ganância pelo marfim. O representante maior dessa degradação é o Sr. Kurtz, um homem com elevados ideais que, ao chegar ao Congo, se vê engolido pela mesma ambição a qual sucumbiram os demais; assistir ao embate interior de Kurtz foi confuso, incômodo...angustiante.

Sinceramente, essa é uma das resenhas mais difíceis que já fiz e ainda não sei ao certo o que pensar deste livro. A ideia do relato de uma expedição à África e o fato de saber que essa seria uma narrativa bastante introspectiva me interessaram de cara! Entretanto, acho que a minha grande expectativa pode ter me levado a certa frustração durante a leitura. O livro é curto, tem apenas 117 pags (e isso na versão pocket característica da Martin Claret) e eu li numa tarde, mas quando terminei, fiquei refletindo e tentando entender qual era a ideia de Joseph Conrad. 

Ele foi um homem do mar, desde cedo vagando pelo mundo; há, inclusive uma introdução muito interessante sobre a vida do autor onde se destaca que ele, de fato, fez uma viagem ao Congo, da qual resultou este livro, e esta foi a experiência mais marcante e difícil de sua vida: a única viagem que ele não gostou e não repetiria. 

 Acho que isso se reflete muito no livro e talvez por isso eu tenha ficado com essa sensação de estranhamento. Talvez a minha confusão, a minha perplexidade como leitora seja nada mais que uma consequência do relato da própria perplexidade de Conrad.



A despeito do meu estranhamento, eu recomendo a leitura; Conrad tem uma escrita muito gostosa de ler, tem um humor afiado. Há passagens belíssimas e trechos perspicazes, como esse:

"A conquista da terra, o que geralmente significa tomá-la daqueles que têm fisionomias distintas ou narizes ligeiramente mais achatados do que os nossos, não é algo belo quando examinado mais de perto" (p. 27).




Se algum visitante já leu O Coração das Trevas e quiser compartilhar suas impressões, fique à vontade!

OBS 1: O livro traz uma seção, ao final da história, intitulado Resumo e Análise. Nunca tinha visto isso nos livros da Martin Claret e fiquei até surpresa! Confesso que preferi não ler esta parte antes de fazer a resenha porque queria colocar aqui as minhas impressões sem essa influência. 

OBS 2: O livro foi adaptado e assim surgiu o filme, em 1979, Apocalipse Now, de Francis Ford Coppola. Ainda não assisti, mas assim que o fizer, postarei aqui minhas impressões, em comparação com o livro. Optei por não faz~e-lo agora porque o post ficaria enorme...rs.

Um beijo e até mais!

Nenhum comentário: